RSS

Exercendo Uma Vocação…

…e OUTRAS QUESTÕES

Uma vez por ano, quando chega nesta época, de dois meses de 31 dias sem feriado algum, sempre me pergunto como vou fazer para manter o blog atualizado.

Sempre peço alguma iluminação divina, que me ajude a manter o blog atrativo (mais uma demonstração da “pureza” da minha vaidade), para que as pessoas continuem voltando aqui, não só as que já vêm visitá-lo sempre, mas as que o descobrem todos os dias. Por incrível que pareça, por menos que eu pensasse que aconteceria, as estatísticas não mentem: depois que coloquei o tradutor universal na página, as rejeições em outros países diminuíram bastante.

Segundo o Google Analytics, a média de rejeições caiu em média 50%, e o tempo médio de permanência no blog subiu de alguns segundos para três minutos e alguma coisa, em diversos países, sobretudo na América do Sul. Estados Unidos e Argentina foram os países em que os índices de audiência melhoraram significativamente.

E o mais engraçado é que o mês de Julho está chegando ao fim com nada mais, nada menos, do que 51 posts em 27 dias. Contribuíram para isso, como sempre, a parte de falar do pouco que me acontece a cada dia; o futebol; algumas leituras que fiz e que me inspiraram a dar pitaco em matérias controversas, assim como boas conversas.

Todas as noites antes de dormir, ou quando assisti episódios de seriados, algumas ideias me vêm à mente, coisas para escrever, mas no dia seguinte tudo isso me fugiu. Não vou deixar de dormir ou parar de ler legendas para rabiscar esboços de ideias. Isso me prejudica um pouco. Ontem peguei a cópia que me cabe de direito da ata da assembleia de condomínio realizada no dia 8 de julho e depois de ler duas páginas dos dois lados até me deu vontade de comentar, mas acho que só vou fazer isso quando efetivamente participar de uma reunião dessas, o que vai acontecer quando as assembleias não forem marcadas para dias de jogos do Grêmio no Brasileirão.

Já percebi que o pessoal não tem muito o que fazer, porque as reuniões costumam ter início às 19:30 e se estendem até 22:30, 23:00, o que é demais para meus sentimentos. Pelo relato que vi na ata houve uma discussão que deve ter se estendido por uma hora ou mais e que não decidia nada sobre o que estava na pauta. Tem que ter muita paciência.

Sendo assim, o que não falta são assuntos para abordar, sempre se pode escrever sobre qualquer outra coisa na falta de alguma ideia própria, aliás, que novidade, não ter ideia própria. Algumas das minhas também costumam aparecer enquanto estou escutando conversas de colegas, sobre qualquer coisa, até mesmo sobre trabalho. Digo muita bobagem, ou às vezes uma só palavra, como hoje pela manhã, quando um colega gremista chegou para outro, também gremista, e perguntou William Magrão ou Fernando?, e eu disse, do meu canto, Adilson

Ou quando um colega colorado me mandou uma mensagem falando sobre o ranking da Conmebol, que coloca o Sport Club Internacional como primeiro da lista, dizendo para eu publicar a informação no blog. Respondi que meu blog é de gremista. Ele argumentou que tenho um espaço para o Inter, e eu disse que é só para resultados de jogo. E acrescentei: ” nem vem com esse papinho de melhor do ranking, eu só publico os números do pior. hehe, para deixar bem claro que estava de brincadeira, mas no fundo tudo que eu disse é verdade.

Ou quando outros colegas estavam falando sobre não sei bem o quê, e um deles disse para o outro que ele tinha que comprar um Kamasutra, e eu pensei (e falei) que no meu caso, só a parte do kama, porque o sutra foi para o espaço há horas.

Daqui a pouco começa o mês de Agosto e com ele o desafio de mais 31 dias e a meta de preenchê-los todos com alguma coisa interessante recomeça. As estatísticas de visita do blog têm me mostrado coisas interessantes sobre páginas anteriores escritas, e estive olhando uma coisa que escrevi em 2008, inclusive com a publicação de uma conta de luz do modelo antigo da CEEE. Como sempre, fico impressionado como o que escrevi antes parece não ter nada a ver comigo, embora faça parte do meu passado.

Mais uma vez me vem aquela sensação de que o que passou, passou, não faz mais parte da minha vida, mas parece que isso só se aplica aos fatos do dia a dia, não se aplica a filmes, músicas, livros, convívio com pessoas. É uma sensação muito estranha. Mas vem ao encontro daquilo que se diz que o único tempo que temos é o hoje. O hoje, o momento em que agora escrevo, já na parte da tarde não mais será, e muito menos amanhã. Amanhã será o hoje. E o que virá depois também será um amanhã que será um hoje e o que escreverei amanhã e depois será passado.

Não fará mais sentido, por isso não esquento nem um pouco com o que vai acontecer com este espaço se algum dia os servidores da Median perderem tudo, ou quando eu não estiver mais aqui para escrever, ou quando ainda estiver neste mundo, mas não tiver mais vontade ou condição de escrever. Tudo vai ficar para trás.

Este será o futuro.


Your Comment