RSS

1ª Rodada Grupo H

TERÇA 19.06.

Em SARANSK

9h

COLÔMBIA 1 x 2 JAPÃO

Primeiro tempo: o Japão começa a partida impondo seu jogo de correria e logo aos 2 minutos numa jogada de ataque obriga o goleiro Ospina a fazer importante defesa, o rebote cai com outro japonês que chuta e o zagueiro Carlos Sánchez intercepta a bola com o braço, com a goleira aberta; o árbitro Damir Skomina, da Eslovênia, não hesita em assinalar o pênalti e aplica cartão vermelho para o colombiano.  Depois de sofrer o gol e com a expulsão a Colômbia teve que correr mais, o que pareceu arriscado diante da velocidade japonesa, mas o Japão meio que se encolheu e passou a tentar apenas explorar os contra-ataques, uma vez que o adversário se abria para ir à frente. O problema para os japoneses foi que a Colômbia seguiu atacando, teve mais posse de bola e oportunidades, até que chegou o momento do gol de empate, em que o goleiro Kawashima buscou a bola dentro do gol e depois pretextou que ela não teria entrado, mas as imagens foram muito claras. A partir do empate a Colômbia recuou, administrando o jogo até o final da primeira etapa.

A Colômbia volta com uma alteração para o reinício de partida.

Segundo tempo: o Japão volta a atacar, aproveitando-se do desgaste físico dos colombianos. Osako recebe uma bola denrtro das área, faz o giro sobre Dávinson Sánchez e bate cruzado, fraco, mas à queima-roupa, para defesa de Ospina, aos 8. Inui pega a bola na entrada da área pelo lado esquerdo, puxa para o meio e dá um chute cruzado, colocado, para defesa parcial de Ospina no canto esquerdo, aos 11. O Japão conseguiu a vantagem, mas nos últimos minutos a pressão foi toda da Colômbia, sem muita organização e prejudicada pelo cansaço. Primeira vitória de uma seleção japonesa sobre uma seleção latina em Copas.

Gols: Cagawa batendo pênalti, aos 5; Quintero cobrando falta, bola rasteira que passa por baixo da barreira e entra no canto inferior esquerdo, aos 38. Segundo tempo: cobrança de escanteio da esquerda, a bola viaja por cima na área colombiana, Arias não acha a bola e atrás dele Osako sobe mais alto e cabeceia no canto esquerdo, a bola bate na trave e entra, passando longe de Ospina, aos 27.

Em MOSCOU (spartak).

12h

POLÔNIA 1 x 2 SENEGAL

Primeiro tempo: estava me preparando para escrever sobre um zero a zero quando saiu o gol de Senegal. Pelas características das equipes nenhuma estava conseguindo fazer muita coisa, apesar de ligeira superioridade senegalesa. As duas defesas trabalham bem, os goleiros não precisando fazer nenhuma grande defesa, enquanto os ataques se atrapalhavam. Na verdade, a única jogada que deu mais ou menos certo foi o lance do gol senegalês, mas que contou com a infelicidade do zagueiro da Polônia.

Segundo tempo: no início do segundo tempo a Polônia saiu para cima do adversário em busca do empate. Lewandowski cobra falta da entrada da área e N’Diaye espalma para escanteio no canto esquerdo, aos 5. A Polônia passou todo o segundo tempo atacando, e num desses ataques aconteceu o contra-ataque que deu o segundo gol senegalês, em lance inusitado: o jogador Niang estava na lateral esperando autorização para voltar a campo após atendimento médico, tendo sido liberado para retornar quando a bola foi lançada para o ataque polonês e foi na rebatida da defesa senegalesa e depois o atrasada errada do zagueiro polonês que ele saiu correndo, ganhou da zaga e fez o gol. Quase no final a Polônia conseguiu seu gol de desconto e pressionou pelo empate até o final do tempo de jogo.

Gols: jogada de ataque com bastante espaço concedido pela Polônia, a bola cai nos pés de Idrissa Geye, que dá um chute forte da intermediária, o brasileiro naturalizado polonês Cionek mete a perna na bola e tira o goleiro Szczesny e faz gol contra, aos37. Segundo tempo: em uma falha incrível da zaga polonesa, um chutão para o ataque acabou num recuo desastrado para trás que foi aproveitado por M’Baye Niang, que avança na corrida, ganha de Bednarek e de Szczesny, que sai mal, e sem goleiro completa para as redes, aos 20; cobrança de falta da intermediária, bola alta na área senegalesa, onde Krychowiak estava para cabecear e desviar do goleiro, bola indo no canto esquerdo, aos 41.

Com este resultado, Japão e Senegal lideram.


Your Comment