RSS

8ªs de Final – 5 e 6

SEGUNDA02.07.

(1° de G x 2° de H)

Em ROSTOVONDON – (6)

15h

BÉLGICA (de virada) 3 x 2 JAPÃO

*

Primeiro tempo: o jogo que define o adversário do Brasil nas quartas começa com iniciativa japonesa, que conseguiu um chute perigoso com menos de um minuto de partida. O Japão faz marcação alta quando a Bélgica tem a bola. O Japão vem, também, com cinco homens no meio de campo e isso confunde um pouco os belgas no começo de partida. Depois de uma pressão inicial japonesa a Bélgica conseguiu equilibrar, e ao final da primeira etapa o goleiro Kawashima havia trabalhado mais do que Courtois. Mas as duas precisam melhorar, se não quiserem ir para prorrogação.

As equipes voltam sem alterações para o reinício de partida.

Segundo tempo: o equilíbrio parecia ser a tônica da segunda etapa até o momento em que saiu o primeiro gol do Japão. A partir daí a Bélgica teve que começar a sair mais. Chute de Hazard da entrada da área que vai no travessão esquerdo, com Kawashima batido, aos 4. O segundo gol japonês coloca a Bélgica em situação dramática. Sem se entregar, o time belga passa a correr alguns riscos, e com ajuda do goleiro Kawashima consegue descontar faltando muito tempo para o final da partida. A Bélgica volta para o jogo. Kawashima faz duas defesas à queima roupa no mesmo lance, colocando a bola para escanteio, aos 40. Vertoghen bate cruzado, chute forte que Kawashima defende no canto direito, a bola voltando para o campo de jogo, aos 41. No final do tempo de jogo a virada da Bélgica foi uma demonstração de que é um time organizado, que não se apavora, sabedor do que é capaz de fazer, enquanto o Japão deu uma rebolada e entregou o jogo no final.

Gols: segundo tempo: lançamento em velocidade, o zagueiro Vertonghen falha, Haragushi entra na área pelo lado direito, bate cruzado, a bola vence Courtois e entra no canto inferior direito, aos 3; jogada de Kagawa na entrada da área, ele recua  a bola para Inui, que do meio da rua dá um chute cruzado que manda a bola no canto inferior esquerdo de Courtois, aos 6; festival de balões na área japonesa, a bola acaba chegando na ponta direita, na entrada da área, onde Vertoghen tenta ajeitar de cabeça para o meio, mas a bola faz uma curva, passa por cima de Kawashima e entra no canto esquerdo, aos 24; jogada de Hazard na ponta esquerda, depois de cobrança de escanteio, sai o cruzamento para o meio da área onde Fellaini sobe mais alto do que todo mundo e manda de cabeça bola no canto esquerdo, aos 29; contra-ataque fulminante da Bélgica em alta velocidade pegando a defesa japonesa totalmente desarrumada, a bola cai na ponta direita com Meunier, que cruza para o meio da área, bola rasteira que chega em Lukako, que faz um corta-luz que tira um zagueiro da jogada e Chadli, que vinha de trás, fica livre para completar para as redes, aos 49.   

*

A Bélgica se classifica para enfrentar o Brasil nas quartas.

ΫΫ

(1° de E x 2° de F)

Em SAMARA – (5)

11h

BRASIL 2 x 0 MÉXICO


Your Comment