RSS

Adiado

SEM VANTAGEM

Com time quase totalmente titular, o técnico Antônio Carlos se vê na obrigação de manter Anselmo no time, o que não deve constituir um grande problema, tendo em vista o adversário. O time de Beto Campos entra em campo como franco-atirador, porque já cumpriu até aqui mais do que era de se esperar antes do início da competição. Como melhor equipe do campeonato, tem lá suas expectativas de poder levar alguma vantagem para o jogo de volta, lembrando que na final não tem gol qualificado.

Uma das suas vantagens, entretanto, é que com Anderson Daronco na arbitragem o meia D’Alessandro não vai se meter a querer apitar o jogo.

O Novo Hamburgo exerce o mesmo tipo de marcação apresentada contra o Grêmio na semana passada, não dando espaços e sempre apelando para as faltas. Com isso o Inter não está conseguindo sair de trás, e tem dificuldades na armação. Não demora muito o Daronco vai ter que começar a mostrar os cartões.

Depois do gol do Nóia o Inter se atirou para a frente. Resta saber se o time do Vale vai conseguir resistir à pressão. O gol saiu no segundo escanteio em favor do Novo Hamburgo. No primeiro já tinha colocado uma bola na trave. Ninguém marcava João Paulo vindo de trás no momento da cobrança. Enquanto outro jogador pulou e não alcançou a bola  o centroavante sequer saiu do chão para cabecear. Keiller ainda tocou na bola mas não conseguiu evitar.

Pouco depois, Nico López chutou o chão dentro da área e deu a impressão de ter sido tocado por um zagueiro, o que provocou reclamações de jogadores colorados, em especial D’ Alessandro, que depois de peitar o assistente que não deu o pênalti que não foi teve a vida amarelada. O Inter tem dificuldades no meio campo, apesar dos três volantes (Dourado, Anselmo e Edenílson), e está tomando contra-ataques um atrás do outro, que só não são mais perigosos por causa dos constantes impedimentos dos atacantes anilados.

O Inter terminou o primeiro tempo pressionando, mas esbarrou nas grandes defesas do goleiro Matheus. O Nóia depois do gol meio que se encolheu, mas também foi empurrado para trás pelo Inter. Keiller foi muito menos exigido do que Matheus.

A entrada de Roberson no lugar de Anselmo na volta do intervalo vai fazer com que o time mude um pouco o jeito de jogar. Vai ficar mais aberto no meio, mas D’Alessandro vai ter alguém com quem jogar, porque com Anselmo além de não ter parceria na armação ficou isolado e bem marcado pelo Novo Hamburgo, que segundo Beto Campos marca por zona, sem ninguém grudando em ninguém.

O gol colorado, marcado meio sem querer por Roberson, faz com que o Nóia tenha que sair de novo para o jogo. Isso não chega a  acontecer, porque o Inter cresceu no jogo e está empurrando o Novo Hamburgo para o seu campo. Já o Nóia parece ter sentido o golpe do empate e está demorando a voltar para o jogo. Agora a bola passa quase o tempo todo no campo de defesa do Novo Hamburgo. Beto Campos ainda não prepara mudanças.

Quando voltou para o jogo o Nóia passou a atacar e acabou chegando ao segundo gol, naquele que parece ter-se tornado um flagelo também na defesa colorada, a bola aérea. Chegou a fazer linha de passes de cabeça no lance, contando com a falha indiscutível do goleiro Keiller.

Antônio Carlos teve que substituir Roberson, que entrara no intervalo. Voltando de lesão, o atacante voltou a sentir a coxa e precisou sair. Em seu lugar entra Valdívia, que pouco antes havia tido o nome gritado pela torcida. Com ele em campo se mantém a ideia de mais velocidade do time. A meu juízo ele ajuda mais na questão da armação do que o que saiu, que é mais atacante do que qualquer outra coisa. Valdívia sabe armar, pelo menos.

Beto Campos ensaiava a primeira substituição quando saiu o seguindo gol de empate colorado. Mesmo assim, Lucas Santos entrou, e é atacante. A ideia de agitar a frente não se alterou. Mas depois ele colocou o volante Tiago Ott no lugar de outro volante, Amaral, que saiu lesionado.

Quase ao final do tempo de jogo aconteceu o que o Inter mais temia: o goleiro Keiller tem problema no braço esquerdo e tem que sair. Aparentemente trata-se de fratura. Em seu lugar entra Marcelo Lomba, que está lesionado e não teria condições de jogar. A lesão se deu por motivo de saída errada do jovem goleiro. Agora o Inter tem que manter a bola na frente, evitando a qualquer custo que o Nóia ataque, porque a rigor não tem goleiro.

Mas também não deu tempo para fazer nada, Daronco aparentemente não considerou o tempo de acréscimos e encerrou a partida aos 49. Fica tudo em aberto para a semana que vem.


Your Comment