RSS

Athletico-PR 2 x 0 GRÊMIO (0x2)

SEMIFINAL da COPA do BRASIL 2019 (49)

Com uma vantagem difícil de ser revertida, jogando por qualquer de três resultados pois se classifica até perdendo por 1×0, mas sem contar com dois de seus principais jogadores, um por lesão e outro por suspensão, o Tricolor volta a campo para tentar resistir à pressão do adversário, sua torcida e o campo de grama sintética.

JOGO de VOLTA

Na ARENA da BAIXADA – 04.09.

19h

Formação que inicia a partida:

Paulo Victor; Léo Gomes (6), Geromel (3), Kannemann (4) e Cortez (12); Rômulo (13), Matheus (14), Alisson (23) e Jean Pyerre (21); Pepê (25) e André (90).

*

Primeiro tempo começando com o Athletico saindo para cima do adversário. O jogo é nervoso e truncado, com desinteligências dentro do campo entre jogadores e fora entre torcedores. O Athletico aproveitou o momento em que o Grêmio estava sem lateral e fez uma jogada em cima de Alisson, que estava cobrindo o setor mas não tem cacoete de marcador. Cobrança de escanteio da esquerda, Robson Bambu cabeceia para trás dentro da área e Alisson também cabeceia na pequena área para defesa de Santos, aos 31. O Athletico não deixa o Grêmio ficar com a bola para fazer seu jogo de toques. Sem a bola o Grêmio corre atrás, e corre errado, se cansando em vez de cansar. Galhardo não entrou bem na partrida e o Athletico insiste por aquele lado. O lateral direito do Grêmio está sem cobertura, enquanto Pepê recompõe o lado esquerdo atrás de Cortez com bastante eficiência, O Grêmio foi muito mal na primeira etapa.

VAR: acionado aos 4 minutos para confirmar se houve pênalti de Rony, em cujo braço a bola tocou em cobrança de escanteio. Na minha opinião houve, mas o árbitro interpretou que não.

As equipes voltam sem mais alterações para o reinício de partida.

Segundo tempo começando com o Athletico novamente saindo para cima e perdendo um segundo gol aos 2 minutos. O Renato insiste com André. O Athletico consegue logo no início desmontar a vantagem obtida pelo adversário no jogo de ida. O Grêmio parece abatido e batido dentro de campo, enquanto o treinador também não parece esboçar indignação. Durante todo primeiro tempo o Grêmio só teve um lance de gol, que foi a cabeçada de Alisson, e mais nada. No segundo tempo está literalmente amordaçado em seu campo. A expulsão de Kannemann sepulta a intenção gremista de chegar à final da competição. Renato demorou demais para mexer no time enquanto o Athletico pintava e bordava em campo, até que teve que tirar André para recompor a defesa quando já deveria ter mexido antes para não deixar que a situação chegasse no ponto em que chegou, de o zagueiro titular se desesperar diante do vareio imposto pelo adversário. Se com onze já estava ruim, imagine com um a menos. O Grêmio chegou a ter um gol anulado por impedimento de David Braz, que cabeceou dentro da área. Tiago Nunes coloca Cirino e Vitinho em campo para tentar liquidar a partida ainda no tempo normal. O Grêmio defende com nove e não consegue passar do meio do campo. Ao colocar Thaciano o técnico Portaluppi abdica de tentar atacar e procura levar o resultado de empate até o final e encaminhar a decisão por pênaltis. O Athletico não corre nenhum risco defensivo, jamais é ameaçado e passa o tempo todo jogando no campo do Grêmio. David Braz lançado em velocidade dentro da área pela esquerda cruza para o meio, Marco Rubén dá para trás e Santos evita o gol contra, no chão, no meio do gol, aos 39.

Cartões: segundo tempo: vermelho direto para Kannemann por falta violenta em Léo Cittadini, aos14; amarelo para Rômulo, aos 49.

Gols: Bruno Guimarães dá um chute forte da entrada da área, a bola vai no travessão e na volta Nikão manda a bola no canto inferior de Paulo Victor, aos 17. Segundo tempo: Rony cruza de pé trocado da esquerda e Marco Rubén cabeceia no meio da área para mandar a bola no canto inferior esquerdo de Paulo Victor, aos 3.

Trocas: Leonardo Gomes torce o joelho esquerdo numa disputa de bola e Galhardo (42) vem para o jogo, aos 17. Segundo tempo: David Braz (33) vem para o jogo no lugar de André, aos 17; Thaciano (16) vem para o jogo no lugar de Jean Pyerre, aos 34.

Resultado que remete a decisão para a cobrança de tiros livres da marca do pênalti.

*

Arbitragem: Wagner do Nascimento Magalhães (Fifa/RJ), auxiliado por Kleber Lúcio Gil (Fifa/SC) e Bruno Raphael Pires (Fifa/GO).

Ao final da primeira etapa o árbitro deu cinco minutos de acréscimos. Depois acrescentou mais um minuto. Ao final da segunda etapa ele deu outros cinco.

Público: pagante …………………; total 28.841; renda R$ 1.370.315.

Melhor do jogo: Bruno Guimarães.

V= 25/ E= 16/ D= 8

Na DECISÃO por PÊNALTIS:

Bruno Guimarães bate e converte (1); Galhardo bate e converte (1); Lucho González bate e converte (2); David Braz bate e converte (2); Nikão bate e converte (3); Alisson bate e converte (3); Marcelo Cirino bate e converte (4); Matheus Henrique bate e converte (4); Marco Rubén bate e converte (5); Pepê bate no canto inferior esquerdo e Santos defende.

O Athletico se classifica para a final da Copa do Brasil.


Your Comment