RSS

Bateu a Meta

ADIANTADO

É interessante quando a gente vê que um planejamento começa a dar certo antes mesmo de fazermos alguma coisa concreta para que ele se dê.

Quando pensei na redução de gastos com cartões de crédito em 50%, primeiro imaginei que levaria dois meses, depois quatro meses. Este último cálculo surgiu de eu ter olhado por cima a mais elevada das quatro faturas recebidas neste mês. Foi o que me fez elevar a expectativa de tempo e alterar a contagem regressiva no blogue, incluindo mais dois meses, até novembro.

A entrada em uma nova carta de crédito de consórcio me pareceu uma boa ideia, como forma de me forçar a manter o foco, o que em parte resolveu, já que os pagamentos começarão, mesmo, em dezembro. Só que ontem eu achei melhor imprimir a maior fatura e olhá-la com mais atenção, comparando-a com as outras. E me surpreendi de novo.

A maior parte dos lançamentos naquele cartão foram de compras pagas em uma vez. Não foram parcelamentos. Estando a fatura paga, se eu não fizer mais nenhuma compra naquele cartão nos próximos 20 dias, o que vai acontecer é uma queda de 50% no valor apenas daquela fatura. Em todas as outras também haverá redução de pelo menos um lançamento no próximo mês e encerramento de pelo menos um nos meses seguintes.

Paralelamente a isso, a diminuição deste gasto vai coincidir com a quitação integral das parcelas do seguro do carro nos próximos dois meses. Ao que tudo indica, quando chegar a época de final de novembro, ou melhor, início de dezembro quando for começar a pagar o novo consórcio, a redução já terá extrapolado a expectativa, podendo chegar a um índice entre 70 e 80% de contenção de gastos.

A ideia básica é de além de incluir a nova cota de consórcio continuar juntando verba para poder negociar contemplações, e outros procedimentos, com vistas a estar depois liberado para vender meu apartamento sem o estresse da necessidade de mudança, porque ela já terá acontecido.

O prazo dos 60 anos em 2018, em que eu pararia de trabalhar de vez, passou a ser o prazo para uma mudança de casa, mas não pretendo me colocar qualquer pressão a este respeito. Vou continuar fazendo tudo de acordo com um ritmo natural, sem atropelos, aproveitando as oportunidades que forem surgindo a seu tempo.

Por isso é bom a gente fazer acompanhamento rigoroso e atento das expectativas. Eu muito provavelmente fiz as compras de livros e séries em dvd com pagamento à vista para evitar os juros dos parcelamentos, e depois esqueci que havia feito isso. Caindo 50% do valor da fatura mais alta entre todas, vai compensar o valor pago na última parcela do seguro do carro, ou seja, será a troca de uma coisa pela outra, com sobra de um bom valor em outubro, juntando com a redução em outras faturas e entrada de alguns pagamentos extras, como o PPR da empresa.

Para o alto, e avante!!!


Your Comment