RSS

Chegou a Hora

NOS CONFORMES

Entrou o mês de abril, tão esperado. E não o foi, para mim, por alguma razão festiva ou sentimental. Esperei muito por este mês por uma questão econômico-financeira estratégica. Há meses, desde a virada de ano, venho me preparando para fazer o pagamento à vista do saldo do IR. Já escrevi algumas vezes sobre isso. Se vou conseguir? Pode-se considerar feito.

Ao longo dos quatro primeiros meses do ano a estratégia de diminuir os gastos com os cartões de crédito levou ao resultado de a soma das quatro faturas a serem pagas no início de abril fecharem em exatos R$ 800,00. Há seis meses a conta chegava a 1.500,00.

Com uma queda de quase 50%, minha principal ideia é de que dá para derrubar ainda mais, o que já vai se refletir no começo de maio. E não dá nem para dizer que fiz um tremendo sacrifício e deixei de viver e sair, pois nesses quatro meses conheci pessoas, fui a Nova Petrópolis cinco ou seis vezes, fiz compras, etc. Então não dá para dizer que por passar muito tempo em casa lendo, fazendo trabalhos domésticos ou vendo televisão estou deixando de viver.

Ao contrário, estou vivendo a vida que construí para mim. E outra: sem perder o sono por preocupação com não ter como pagar as contas. E de novo é o contrário: se eu perder o sono (o que raramente tem acontecido nos últimos tempos) é por alguma coisa boa, do tipo eu ficar pensando no que vou poder fazer com o dinheiro que vai sobrar da diminuição de gastos.

E claro que eu visualizo muito a casa que quero ter em NP e o que vou fazer também em Porto Alegre.

Bueno.

O que importa neste momento é o fato de que no começo de abril há a expectativa de que chegue logo o dia 28, que será o dia em que a Receita fará o débito do valor a ser sacado da minha conta. A partir da semana seguinte, dia 2 de maio, recomeça a caminhada em larga escala para no ano que vem atingir um dos meus objetivos de grande porte.

Tudo sendo feito a partir de uma estratégia definida e levada a adiante com foco, determinação e total eliminação da dúvida sobre minha capacidade de alcançar a meta. Mais uma vez eu afirmo: é possível.


Your Comment