RSS

Dia 159 – 2018

sexta

Horário Postagem

08h23min

A mínima definitivamente se aproxima de índices alarmantes, caindo pela metade dos dias anteriores, aos Celsius; o vento diminui de intensidade, caindo a 18 km/h; umidade relativa abrindo o leque, variando de 49 a 74%; o dia amanhece com céu limpo, o que é um alento para quem não gosta de frio, e a chuva continua sumida da previsão;  a temperatura máxima se mantém em quadro de estabilidadeDados do site Tempo Agora.

Bom, então aconteceu que no final da postagem de ontem faltou dizer uma coisa muito importante: que depois da chegada em casa vindos do shopping eu resolvi investigar embaixo da pálpebra do olho esquerdo, que foi o que ficara sem lente (relembrando, uma das lentes sumiu quando havia passado em casa, mais cedo), porque me deu uma desconfiança, e adivinhem quem saltou dali?

Menos mal que não precisei abrir nenhum dos dois frascos com lentes novas que estão guardados de reserva.

Isso dito, há pouco me dei conta de ter esquecido a metade do cheese que a Lisiane não conseguiu comer inteiro na noite de ontem. não chega a ser um prejuízo total, porque a expectativa era de que só poderia fazer o lanche depois da consulta com a dentista no ambulatório da empresa, ás 10h30. Quem fica sem comer até aquele horário fica cem comer nada até poder almoçar, o que se dará em Eldorado do Sul, para onde vou na saída, levando uma panela de pressão, presente para nossa madrinha de casamento.

A Lisi está de folga, hoje, e já estará por lá desde cedo.

Hoje está sendo mais um dia daqueles em que fiquei sem assunto, mas duas coisas me chamaram a atenção desde ontem: primeiro, os R$ 3 bi arrecadados pelo Governo Federal com leilões de áreas do pré-sal. Quando concedeu uma redução de R$ 0,46 no preço do diesel, o governo disse que teria que cortar verbas de diversas áreas para custear a medida, mas será que eles não sabiam que haveria uma arrecadação extra com os leilões? Muito estranho.

Outra coisa que soa bastante absurda é a intenção do prefeito Marchezan de querer cobrar aluguel da Praça da Alfândega (local público) para a realização da Feira do Livro. quanto a esta última questão, sem comentários. Sem pensar no turismo, sem pensar que os expositores cuidarão da praça, sem pensar no quanto o ponto tradicional é acessível e agradável à população, pera nem falar no desestímulo à leitura para uma parte da população que não é chegada a isso, mas abre excessão para a feira.

Mas é compreensível que faça parte do projeto pessoal do prefeito a eliminação de qualquer chance de reeleição. Ele deve estar cansado do cargo.

Para visualizar as fotos do quadro do tempo acesse o link Quem Vai Querer Saber™, lá embaixo. Será redirecionado para um álbum no Facebook.


Your Comment