RSS

Dia 272 – 2018

sábado

Horário da Postagem

12h37min

A temperatura mínima continua inalterada na casa dos 19°Celsius; a velocidade do vento volta a recuar, caindo a 18 km/h; a temperatura máxima volta ao nível de verão; o dia transcorre ensolarado, mas a expectativa de chuva insiste em aparecer no quadro do tempo; a umidade relativa segue com tendência de baixa, com variação de 53 a 77%. Dados do site Tempo Agora.

Bom, então aconteceu que na saída do trabalho, na sexta-feira, paramos lado a lado numa sinaleira eu, meu amigo e colega Sergio, que estava de moto, e o colega e amigo José Ronaldo, que estava de carro. O Sergio olha do para alguma coisa no pneu dianteiro direito da Marau. Em seguida ele falou com o Ronaldo, que também olhou e fez uma expressão de quem não tinha visto nada. Eu abaixei o vidro daquele lado e o Sergio me disse que havia uma bola no pneu. Para eu procurar um borracheiro, sob risco de acontecer algum acidente.

Eu já estava, mesmo, num trajeto alternativo de volta para casa.

Primeiro passei no posto de preferência para usar o Abastece Aí da Ipiranga, depois passei na lotérica da Campos Velho para renovar uma fé, para depois entrar no borracheiro também da Campos Velho, onde recebi uma aula sobre o que poderia ter (e não tinha) acontecido com pneu por causa daquela protuberância.

Por módicos R$ 15,00 procedemos a troca daquele pneu pelo estepe, que tem pouco uso, passando aquele para o lugar do estepe, ou seja, uma gambiarra. A alternativa seria deixar o carro até o final da manhã de sábado para se fazer uma vulcanização, processo que levaria pelo menos três horas. Como eu precisava da Marau para hoje vir trabalhar, não tinha como.

Antes que eu esqueça: no meio do caminho até o posto pela rota alternativa, passei pela Av. Cascatinha e estava parado numa sinaleira quando avistei um sujeito barrigudo caminhando devagar, de camiseta branca de mangas compridas com todo aquele sol que fazia: Adroaldo Guerra Filho, o Guerrinha, jornalista da RBS, que estava se dirigindo ao prédio sede da empresa, para dali a pouco participar do Sala de Redação. As mangas compridas da camiseta se explicam por conta do ar condicionado do estúdio, e eu depois olhando o programa em vídeo pelo You Tube confirmei que todos os integrantes estavam de mangas compridas, como sempre.

Ainda no momento em que estava assistindo o Sala chegou o pessoal do Mensageiro da Caridade, que foi buscar o sofá velho, que estava de saída. Já os esperei com a peça na porta.

Isso dito, agora pela manhã foram tantas as ligações que atrasou a leitura da versão impressa da ZH, e também a montagem deste post. A espera do jogo do Grêmio já está praticamente pronta, faltando apenas colocar a provável escalação do time que inicia a partida. Talvez ainda dê para fazer tudo antes de sair do trabalho.

E este é o roteiro.

Para visualizar as fotos do quadro do tempo acesse o link Quem Vai Querer Saber™, lá embaixo. Será redirecionado para um álbum no Facebook.


Your Comment