RSS

Dia 60 – 2018

quinta

Horário da Postagem

10h04min

 Temperatura mínima passa mais um dia rigorosamente sem alteração, aos 21°Celsius; o céu do amanhecer manteve a forte nebulosidade da madrugada, respaldando a sequência de expectativa de chuva; a umidade relativa se mantém em alta, oscilando entre 59 e 79%; o vento não sofre variação de intensidade, mantendo-se nos 13 km/h; a temperatura máxima estacionada em alta não sofre alteração. Dados do site Tempo Agora.

Não é a primeira vez que acontece. Já escrevi várias vezes a respeito. Os dias de folga na semana (especialmente quando são três em sequência) parecem passar mais depressa do que quando são apenas dois, terça e quinta. Daqui a duas semanas terei nova sequência de três dias de folga, e depois o primeiro dos três períodos de três dias de férias. Todos esses períodos vão passar muito depressa.

Ontem estava acompanhando mais ou menos de perto (e ao mesmo tempo de longe, porque era por conversas no celular) o dia da Lisiane, enquanto o meu transcorria rapidamente, com montagem de post no blogue, exercício no elíptico e depois acompanhamento do Sala de Redação e filmes. Até que depois das 17h recebi um aviso pelo interfone de que havia duas caixas para mim na portaria. O amigo disse inclusive que se eu quisesse usar o carrinho ele ajudaria a colocar, porque eram pesadinhas.

Imaginei que fossem os criados-mudos (e eram) e desci. Até peguei o carrinho, mas só usei para levar até o elevador. As caixas não eram assim tão pesadas. Para não ter que descer de novo para deixar o carrinho no lugar, fiz a mão de colocar as caixas no elevador uma a uma, descarregando-as do mesmo jeito aqui em cima. Uma barbada.

Já a tentativa de montagem não está sendo tão barbada, porque embora fácil, muitas peças vieram sem os furos correspondentes aos encaixes, e vou ter que lidar com isso. Como acontece em todo manual de montagem de móveis, o que acompanha cada caixa não é nada amigável. Mas a gente vai pegando prática, vai adivinhando algumas coisas e consegue montar.

Tudo que eu me quebrar no primeiro será mais fácil no segundo.

Por conta do trânsito e alguns contratempos a Lisi chegou por volta das 21h e eu estava numa briga com a questão das gavetas. Ela me ajudou a chegar na conclusão de que também ali faltavam furos.

Para hoje tem o jogo do Inter pela Copa do Brasil, para o qual depois vou montar a espera. Agora pela manhã, depois de liberada esta postagem, vou sair para encaminhar aqueles meus exames regulares de saúde que garantem (assim espero, mais uma vez) que a minha preocupação com a saúde me deixe livre de preocupações com a saúde. O uso do medidor de glicose está ajudando muito nessa tarefa de prevenção para evitar ter que usar insulina. Tanto que nem os comprimidos receitados pela médica estou precisando tomar.

Controle da alimentação e exercícios físicos funcionam bem.

E depois, à tarde, segue o baile da briga pela montagem de móveis.

Por último: escrevi outro dia que as notas de compras e outros canhotos em papel se multiplicam de maneira impressionante, e desde ontem estou usando um montinho deles para escrever os rascunhos. A pilha parece que quanto mais notas eu uso, mais aparecem, mas é só impressão. É que alguns são bem pequenos, então parecem dar cria na pilha. Mas o descarte é rápido.

O que estraga é que agora virão quatro dias de montagem de posts no trabalho, e aí a pilhazinha de casa ficará parada. Em compensação coloquei na mochila um lote de embalagens cujos lados B vão acabar rapidinho por conta dos rascunhos e anotações de trabalho. Estou fazendo um mutirão dos grandes. Vai demorar um pouco, mas vou liquidar com o último reduto de papelada que restou na estante da sala.

O grande trunfo é que agora não entra mais nada, só sai. E eu continuo mantendo contato com a minha caligrafia, que não melhora, mas também não piora.

A NOITE de SONO

Ativado no efetivo momento de dormir.

.

Para visualizar as fotos do quadro do tempo acesse o quadro Quem Vai Querer Saber™, lá embaixo. Será redirecionado para um álbum no Facebook.


Your Comment