RSS

Inesperado

FALTOU MAIS do QUE ENERGIA ELÉTRICA

 Na noite em que a Justiça Estadual concedeu liminar a pedido do PSOL para cancelar o aumento das passagens de ônibus ocorrido na última segunda-feira, pouco antes de a partida começar aconteceu uma queda de luz no estádio e numa parte das redondezas. Atrasou em cerca de 7 minutos o início do jogo. Aos 15 caiu de novo a iluminação. Chamou a atenção na primeira queda a circunstância de funcionários do Inter terem que subir na parte superior, acima das membranas que circulam o Beira-Rio. Antes da segunda queda a assessoria de imprensa do Inter informou que a pane havia sido geral, de responsabilidade da CEEE.

Como na primeira vez, levantou-se a questão sobre o que foi feito com o gerador que teria sido instalado no estádio por conta da Copa do Mundo. Na segunda queda a iluminação e o ar condicionado dos camarotes funcionava normalmente. Antes do final do primeiro tempo surgiu a informação de que a CEEE alegava que não havia corte no abastecimento na região do Menino Deus, e que portanto o problema queda de luz era interno do Beira-Rio. E aos 46 a luz caiu novamente.

Quanto ao jogo em si, não estava bom, nos 15 minutos em que a bola rolou. O Inter tinha domínio territorial do campo, mas não conseguia desenvolver seu jogo, uma vez que o Veranópolis do técnico Luís Carlos Winck estava com um bom esquema defensivo montado, especulava nos contra ataques e conseguia por vezes reter a bola no seu campo de ataque.

Mas a pressão colorada foi demais para o time da serra. Na terceira vez que a luz caiu o retorno foi bem rápido, apontando para problema interno, mesmo, de acordo com a informação da operadora. Depois caiu de novo. Fiasco no Beira-Rio. Quase ao final do primeiro tempo, que acabou durando 72 minutos, surgiu uma informação de que o Inter tinha confirmação da CEEE de que as subestações não estavam conseguindo dar conta da demanda normal em função do calor e mais a iluminação do estádio.

Os problemas com a iluminação do estádio só perderam o foco diante da extraordinária virada no placar em favor do VEC, que contou com uma inacreditável falha do goleiro Alisson, que se precipitou ao sair do gol em uma jogada em que o atacante do Veranópolis estava indo para a linha de fundo, com outros dois jogadores colorados na marcação. O goleiro colorado perdeu a dividida e deixou o gol totalmente desguarnecido.

O caso é que depois de levar o segundo gol o Inter se atirou para a frente em busca do empate, passou a pressionar e esteve muitas vezes ao ponto de conseguir, enquanto o VEC recuou e ficou se segurando. Quase ao final do tempo de jogo o Inter quase empata com Bruno Baio. Antes teve um gol bem anulado por impedimento. Depois quase empatou com Anderson e com Sasha. Depois Jackson. O árbitro deu 5 minutos de acréscimos, no segundo tempo e eu tive que largar o jogo do Beira-Rio porque avançou no horário do jogo no Aldo Dapuzzo.


Your Comment