RSS

Outra Correria

E as ESCOLHAS DIFÍCEIS

Vamos direto às tecnicalidades.

O dia de ontem, uma semana depois de uma tremenda correria física, foi de correria mental. Antes de mais nada, preciso reiterar que não entendo absolutamente nada de linguagem HTML. But…

A volta ao ar do Quem Vai Querer Saber fez pensar em mudança, já que ficou tanto tempo fora a ponto de me levar a estudar alternativas, das quais, francamente, não gostei nem um pouco (tanto que afirmei várias vezes, para várias pessoas, que eu voltaria). Em outras épocas relutei muito em alterar o visual da página, imaginando que não saberia viver sem as minhas contagens regressivas (e nas páginas alternativas eu realmente não tinha como instalá-las), ou sem os links de visualização de dados estatísticos do saite. Então eu ía deixando o visual da página do jeito que estava. Para nem falar que eu gosto do modelo Vina.

Mas depois do problemão que levou a ficar mais de mês com a página desativada, resolvi que agora, não, agora era hora de brincar um pouquinho. A vida de blogueiro pode ser bastante limitada se for levada muito a sério, e levando-a muito a sério a primeira coisa que desaperece é a diversão da coisa. E eu quero fazer este negócio como uma diversão. Trabalho, obrigação, já tenho há quase 35 anos em outro lugar. O restante tem que ser por diversão.

Pensando nisso, passei a tarde toda e um pedaço da noite de ontem aprendendo a identificar os recursos que cada tema (modelo de página, para facilitar o entendimento) oferece. Aprendi que praticamente todos os modelos com imagem no cabeçalho permitem que se faça rodízio com várias imagens; aprendi que cada uma modelo pode ser alimentado com os mesmos widgets (links de acompanhamento de visitas e acessos a outros saites), e que para isso é preciso apenas ativá-los para cada modelo de página.

O mais importante que aprendi foi que podia instalar os quadros do tempo e as contagens regressivas em praticamente todos os modelos. Só precisei aprender os lugares dos códigos HTML de cada modelo onde poderia copiar e colar os códigos das contagens dos quadros do tempo. Não só aprendi isso como, para fazê-lo, não tive que montar cada código a cada vez. Bastou simplesmente salvar todos os códigos numa página do Word, e depois só ía lá, copiava os códigos e os colava juntos aos códigos HTML de cada modelo. Com isso, foi quase uma barbada colocar contagens regressivas e quadros do tempo em praticamente todos os modelos.

Uma outra barbada, mas que deu bastante trabalho, foi escolher imagens de fundo para algumas páginas, que fossem compatíveis com o visual que os campos de links assumiam de acordo com a foto.Examinei e testei centenas de imagens. Aos poucos ía me lembrando que tinha em alguma pasta do PC alguma foto que encaixava do jeito que eu precisava e assim se passaram várias horas de pesquisa.

Por questão de uma coisa que deu errada que acabou dando certo, meu blogue é o único que conheço que apesar de abrir o mesmo modelo de página nos três principais navegadores o faz com modelos de letras diferentes nos três. Há pontos de caracteres convergentes, mas os textos e seus títulos aparecem de maneiras diferentes se forem visualizados no Explorer, no Chrome ou no Mozilla. Uma coisa que provavelmente aconteceu por algum erro de bug do plugin que altera fontes, mas que acabou se tornando interessante e tornou o Quem Vai Querer Saber™ uma página única em um sentido mais amplo.

Quanto ao modelo de página a ser usado, a dificuldade de escolher uma em particular tornou-se ao menos para mim impossível de vencer. Hoje eu diria que a tendência é de visual dinâmico, até porque encontrei pelo menos uma alternativa que se mostrou muito bonita e quase tão completa quanto o tema Vina, que vem sendo usado há anos.

A mudança será a coisa mais constante da página, a partir de agora, até porque me parece que quem não explorava a página mais do que a leitura dos textos vai continuar não explorando. Quem o fazia vai continuar encontrando os itens que sempre mais lhe atraíram.

Com visuais diferentes.


Your Comment