RSS

Um Por Quê

INSPIRAÇÕES

Sempre que leio alguns dos assuntos da edição de final de semana da ZH me vêm uma série enorme de pensamentos sobre coisas para escrever, e neste fíndi não foi diferente. Espiritualidade, empreendedorismo, política, finanças, futebol, etc. Tudo tem potencial para alguma ideia sobre o que escrever. Mas na maioria das vezes acabo deixando para lá, porque, a rigor, ao fazer as publicações do diário do blogue estou escrevendo a minha autobiografia (ou uma parte dela, agora acrescida de uma parte da biografia da Lisiane).

Na edição deste final de semana há uma entrevista com o empresário Rick Chesther, que recomendo seja lida por todas as pessoas, que diz uma coisa com a qual eu concordei. Ele fala que o brasileiro se preocupa sempre com o resultado, mas não pensa no processo das coisas, e aí eu entendi por que gosto de escrever sobre o processo de montagem das postagens do blogue e sobre como faço para driblar um pouco os efeitos da inflação sobre meus depósitos na poupança.

Por isso gosto de bastidores. Gosto de pensar na questão da preparação.

Tem também uma matéria sobre pessoas que estão optando por abandonar as redes sociais, ou que não passam tanto tempo nelas, incluindo a parte de pessoas que ainda não têm acesso à internet. Sobre a internet, a existência desta plataforma resolveu um problema, para mim, que em tempos de adolescência (ali pela época do Dilúvio) pensava em ser um escritor famoso (no fundo, a intenção era de simplesmente não passar despercebido pelo mundo), o que depois achei que seria péssima ideia, justamente pela falta de boas ideias.

A questão é que mesmo não sendo famoso, vou acabar não passando pelo planeta sem deixar um rastro sequer sobre quem eu fui e o que por aqui vivi, porque vai ficar muito sobre o que eu pensava.

Já escrevi, antes, sobre a vaidade de fazer o que eu faço, mas, ao mesmo tempo, é um momento de espiritualidade, fazer uma coisa que eu gosto, não tanto por alguma elevação, porque na maior parte das vezes não há nenhuma, mas pela parte de lidar com a preparação, que sempre passa despercebida, mas que é tudo, em termos de resultado, considerando-se como resultado a apresentação das postagens.


Your Comment