RSS

Uma Composição

ATÉ DEU SAUDADE

Convidado por um professor a escrever sobre meu último período de férias, em vez de consultar meu alfarrábios digitais (porque está tudo relatado no meu blogue), fui direto na velha e boa CTPS, que me deu resposta instantânea.

Mesmo com a convicção de que quando solicitou a composição o professor estava pensando mais em férias estudantis do que no relato de um funcionário público com 30 e tantos anos de carreira, tarefa é tarefa, portanto vamos a ela.

Minhas últimas férias aconteceram no mês de Agosto de 2012. Férias no Inverno, para mim, sempre têm o motivo óbvio de fugir do frio, porque ele e eu temos uma divergência ideológica insuperável. As do ano passado também foram motivadas pelo desejo de (a) dar um gás na minha poupança, com vias à troca de carro, e (b) também pensando na possibilidade de ficar trabalhando dois anos seguidos, só saindo em férias novamente quando a empresa me obrigar, antes de vencer o segundo período aquisitivo consecutivo, sendo que o primeiro já venceu em Junho/13.

Quando chegar a hora da obrigação de tirar férias eu já deverei estar aposentado, passando a receber dois salários, no mínimo até Janeiro/16, quando terminar de pagar o meu apartamento e no máximo até final de Julho/18, quando eu completar 60 anos. É uma meta audaciosa, mas algum dia o pontapé inicial tinha que ser dado.

Sobre o período de férias propriamente dito, àquela altura já estava inscrito para a prova do Enem, mas não lembro se já estava para o Vestibular; acho que não. Para o Vestibular a inscrição deve ter ocorrido mais adiante. Eu até havia pensado em estudar um pouco para o Enem, mas já sabia que não faria isso.

Fiquei os 20 dias dentro de casa, praticamente, só saindo para visitar os pais, vez por outra, e quando precisei ir ao súper, deixando claro que passar um período de retiro em tempo quase integral, para mim, é uma visão do paraíso, porque eu adoro a minha casa. Li muito, ouvi muita música, escrevi menos do que gostaria, mas mais do que no período de trabalho, vi muita televisão, não fiz nenhuma viagem, o que foi uma lástima (não estava confiando no Santa para pegar estrada) e sobre meu último período de férias não tenho mais nada a declarar.

P.S.1: antes de escrever este texto enviei um e-mail ao professor perguntando se férias que não fossem estudantis também podia. Ele respondeu dizendo que certamente, pois o objetivo do exercício era ver como cada um escreve em texto livre, de assunto simples e, geralmente, agradável. Quando li a resposta o texto deste post já estava escrito, era o que eu tinha pensado em entregar, e não via motivo para não entregá-lo do jeito que estava.

P.S.2: para a imensa maioria dos textos que posto (com o aberto) nesta página, não faço grandes revisões, à exceção da gramática e ortografia. Mas como agora estou postando produções que tenho intenção de enviar para os professores, nada como ter uma revisora informal, que sabe exatamente do que eles gostam. O texto aí de cima em sua forma final, antes de ser enviado passou por um crivo daqueles.


Your Comment