RSS

Uma Escolha; Vários Mercados

SOBRE o QUE PENSAR

Faz vários dias venho pensando que se fosse tão bom escritor como algumas pessoas dizem eu conseguiria com palavras descrever os sons de uma música, o que é simplesmente impossível, e é claro que isso até hoje ninguém tentou fazer. É possível representar música com símbolos, mas ainda assim é necessária a ajuda de instrumentos para que os símbolos possam ser interpretados como música

Isso dito, vamos avançar.

Uma das primeiras coisas que devo entender como algum que gostaria de se tornar expert em alguma coisa é que neste mundo existe mercado para tudo, e como tal há pessoas que poderiam se interessar pela minha especialidade bem como há pessoas para as quais o meu conhecimento sobre algum determinado assunto poderia nada significar, e isso é muito simples de assimilar bastando apenas que eu pense nas coisas que me interessam e nas que não me interessam.

É uma questão de mercado.

Aí entra uma outra questão sobre o que o segmento em que eu poderia me especializar. Há dezenas de coisas de que eu gosto mas que não agregam nenhum valor a nenhuma outra pessoa, ou a muito poucas, como no caso daquelas que são diretamente envolvidas com as atividades, ou que tenham o mesmo tipo de curiosidade que eu.

Dou três exemplos bem claros.

Primeiro, trilhas sonoras de filmes. Segundo, nomes dos atores que participam de longas e séries. Terceiro, nomes dos dubladores de personagens de filmes e séries. São três coisas que eu adoro, tenho curiosidade, mas que a rigor não acrescentariam nada de valor às vidas da maioria das pessoas. Para mim são três tipos de exercícios de memória, e já estou em idade para me preocupar com isso.

A trilha sonora de um filme ou série me faz pensar em várias coisas, começando pelo autor. Um determinado autor tem um estilo, dentro dele tem várias composições, e faz bem para a memória lembrar quais são elas. Da mesma forma, uma trilha de filme pode ter a capacidade de nos lembrar uma determinada cena, ou uma sequência delas. Para a minha cabeça, meu cérebro se manter ativo, acho interessantíssimo.

Da mesma maneira, quando vejo os nomes dos atores nos créditos iniciais ou finais (porque há grande variação nisso, conforme a produção) consigo imaginar que ator é; presto mais atenção ao filme na espera do momento da história em que ele vai aparecer. Atores que antes de se tornarem consagrados ou protagonistas às vezes fizeram pontas em algumas produções e eu gosto de saber se já usaram o nome por que hoje são conhecidos.

Tudo exercício de memória.

Assim como é um excelente exercício de memória identificar pela voz o nome de um dublador como também lembrar que outros personagens de quais outras produções eles dublaram.

Talvez o fato de poder serem encarados como bons exercícios de memória estes três interesses em particular possam também interessar a pessoas da minha faixa de idade que também se preocupem em manter o cérebro ativo (lembrando que esta seria apenas uma entre tantas maneiras de se fazer isso).

Mas não sei se seria uma atividade na qual eu gostaria de me especializar. Seria (e é) mais como um hobby, assim como é o ato de escrever num blogue.

 


Your Comment