RSS

Começo Difícil

E a REALIDADE… 

A velocidade imprimida pelo Grêmio no início da partida teve muito a ver com a média qualidade do adversário. Por estar no trabalho e com a possibilidade de ter que atender o telefone durante a transmissão, estou psicologicamente preparado para perder algum detalhe, como a aplicação de algum cartão para jogadores gremistas, gols e outros quetais. Quando se tratar da dupla GreNal vou ser sempre contra o jogo neste horário.

Uma das vantagens obtidas foi o cartão amarelo por reclamação para o jogador Biro-Biro ainda antes de 10 minutos de partida. Não é um cara que tenha grande habilidade, e é marcador, ou seja, corre grande risco de não terminar a partida. Já pelo lado do Grêmio, a sensação é de que não importa quem bata as faltas, todas elas são mal aproveitadas, ou sequer são aproveitadas.

A Ponte conseguiu suportar a pressão inicial gremista e depois de na metade do primeiro tempo já estava equilibrando. Recuou para marcar atrás da linha de meio de campo e tentou aproveitar a velocidade de Rildo nos contra ataques.
Infelizmente, para o Tricolor, a tendência a atacar apenas por um lado facilitou o processo defensivo do time paulista. A bola aérea gremista funcionou para Yuri como em nenhum momento funcionou para Braian, e assim aconteceu o primeiro gol.

Segundo o comentarista de arbitragem Diori Vasconcelos, da Rádio Gaúcha, o senhor Heber Roberto Lopes errou ao aplicar cartão amarelo para Galhardo e errou ao deixar de marcar uma falta sobre Yuri, semelhante à que tirou Neymar da Copa do Mundo no ano passado. E segundo o comentarista Maurício Saraiva, Galhardo fez um bom primeiro tempo. O problema é que o lateral não é regular. Já a torcida estava pegando no pé de Giuliano, que não estava jogando bem. A meu juízo o problema seria ele sair e Douglas entrar.

A Ponte vem com uma modificação para o segundo tempo. O Grêmio continuou tentando contra atacar. Yuri foi agarrado numa arrancada, cavando cartão amarelo para o adversário que o abraçou. O Grêmio vai anunciar a contratação do lateral direito Hélder, que atuou pelo Juventude no Gauchão. Aparentemente não há interesse na renovação do empréstimo de Matías, que termina em junho.

Segundo narrado no rádio (o que jamais seria informado em transmissão de tevê) o árbitro tentou avisar Yuri de que não subisse na escadinha próxima à torcida, mas o jogador não viu e depois de comemorar o gol foi advertido com cartão amarelo. Trta-se de orientação da CBF, com trabalho preventivo por parte dos árbitros, no estádios em que há aquele acessório.

Depois do segundo gol gremista a Ponte começou a imprimir velocidade e foi quando os problemas defensivos do time de Luiz Felipe voltaram a aparecer. Marcelo Oliveira falhou duas vezes, nos dois gols, e Geromel estava desatento no segundo. O mesmo Marcelo oliveira salvou um terceiro gol da Ponte, em lance em que Grohe já estava saltando para outro lado.

Felipão tentou arrumar a casa. Colocou Everton e Douglas, dois armadores, para tentar liberar Luan para jogar mais junto a Yuri. Trocou seis por meia dúzia ao colocar Matías no lugar de Galhardo. A estrela do treinador brilhou em uma cobrança de falta logo em seguida, quando o goleiro Marcelo Lomba, de grandes defesas, se atrapalhou. A Ponte seguiu atacando, porque tinha consciência dos erros defensivos do Tricolor.

A esta altura a ruindade da arbitragem passou a sonegar faltas em favor do Grêmio, como já era de se esperar, não por questão de conspiração, mas por ruindade, mesmo. Walace salvou o Grêmio duas vezes seguidas quase ao final do tempo de jogo, evitando com isso o empate que tiraria a liderança parcial pelo número de gols marcados. A ponte terminou o jogo com um a menos, em um lance que praticamente definia a partida. Mais uma vez a falta em favor do Grêmio foi desperdiçada.

Tendo entrado em meio ao jogo, Douglas fez boa partida. A Ponte teve três escanteios em sequência já nos acréscimos, e a insistência compensou. Coisa de matar torcedor no coração.


Your Comment