RSS

- O DESAFIO da LEITURA

Dia 022 – 2022

Sábado

Não se trata de uma simples metáfora. A vida é realmente feita de idas e vindas, como o mar. As ondas da vida podem durar anos, meses, semanas ou dias.

O que eu penso sobre elas é que nunca se sabe o que pode acontecer. Uma circunstância que hoje nos faz bem amanhã pode significar o mal. Algum mal que hoje nos aflige pode sofrer uma reviravolta e amanhã fazer parte de uma circunstância do bem. Nunca se sabe.

Uma coisa que se sabe é que invariavelmente nos apressamos no julgamento dessas ondas. Talvez sejamos levados a pensar primeiro na brevidade do nosso tempo de vida. É uma pressão que nos acompanha desde o momento do nascimento. Por uma série de razões que têm a ver principalmente com comportamentos ou conveniências de outros, tendemos a viver os primeiros anos de nossas vidas querendo que o tempo passe depressa.

Depois passamos alguns anos achando que temos todo tempo do mundo. As gerações mais novas parece que tendem a estender essa sensação para bem além da adolescência.

E depois chega um momento da vida em que começamos a pensar no tempo em termos de escassez.

Esse pensamento tende muitas vezes a despertar um sentimento de insegurança nas pessoas. Passamos a ser regidos pelo medo da escassez do tempo de vida. Nasce um sentimento de insegurança em boa parte dos indivíduos.

Entretanto, algumas pessoas, mesmo em idade avançada, continuam agindo como se tivessem todo tempo do mundo. Isso é bom no caso daqueles que têm saúde, fazem planos e os mantém ativos. Mas muitas pessoas continuam maltratando seus corpos e mentes como se tivessem todo tempo do mundo. Há questões da fragilidade humana que depois que passam do tempo não têm mais conserto.

Eu não sei quanto tempo mais está à minha disposição neste mundo. No mundo do além a eternidade é uma possibilidade, mas aqui há um sem-número de limitações.

O que posso fazer, e faço, é tentar cuidar do meu corpo e da minha mente de um jeito que a perda de controle aconteça sempre um pouco mais para lá.

É o mínimo que devo a mim mesmo e às pessoas que me cercam e/ou se preocupam comigo.


Your Comment