RSS

- O DESAFIO da LEITURA

Não se Preocupe

Dia 120 – 2022

Sábado

VOCÊ TEM a SOLUÇÃO

Nos dias atuais as pessoas agora se preocupam com tudo.

Se preocupam com sua saúde, se preocupam com as crianças. Se preocupam em morrer, se preocupam com seu trabalho e a economia. Em ter um ataque cardíaco, e a segurança, e a felicidade de todos os outros. Se estão fazendo a coisa certa, e os preços, e se a economia entrar em colapso. Se preocupam com acidentes, “e se eu tiver um“, “e o que as outras pessoas pensam sobre mim“, “e meu peso, meu dinheiro, meu carro quebrando e minhas contas“.

Se seus pais podem estar ficando doentes, se vão entrar no céu, “e se não houver deus?“, ou o clima, ou envelhecer, ou voar, ou “a virgindade da minha filha“, ou falar na frente de grupos, ou ir para outra cidade, e até o mais neurótico de todos os motivos, que é se preocupar em não ter nada com que se preocupar. Incrivelmente, pessoas pensam “gente, eu não tenho nada com que me preocupar, mas é isso que me preocupa, porque eu só sei que quando eu não tenho nada com que me preocupar então alguma coisa vai dar errado“.

Bom.

Sem querer parecer dono da verdade, mas já parecendo, acredito que posso dar o melhor conselho que qualquer ser humano poderia receber. Um conselho baseado com coisas que aprendi com meu guru Wayne Dyer, e cuja aplicação de vários e vários anos tem me ajudado muito. Um dos conselhos mais importantes que você poderia receber sobre preocupação. Se você não tem controle sobre algumas situações, você apenas relaxa, você flui e deixa ir.

Deixe de se preocupar com algo sobre o qual você não tem controle. Não faz absolutamente nenhum sentido se preocupar se você não tem controle sobre algo. Envelhecer ou morrer, entrar ou não entrar no céu. Que controle você tem sobre essas coisas? O que quer que seja que você não pode controlar, se preocupar com isso não vai lhe fazer nenhum bem. E se você tem controle sobre isso, então assuma o controle.

O que quer que você queira fazer, se você tem medo de voar em um avião (como eu tenho, por exemplo) você tem controle sobre isso. Você tem trens disponíveis, existem carros disponíveis, existem cursos e formas de aprender a eliminar o seu medo de voar e assim por diante, para que possa fazer algo a respeito ou pode optar por não fazer nada. De qualquer forma, não vai fazer nenhuma diferença em sua vida se você escolher se preocupar, isso simplesmente não ajuda em nada.

Então, quando você aprender que pode, pode começar a avaliar todo esse negócio de por que você escolheria a preocupação em sua vida. Você olha para trás uma e outra e outra vez, e você a disseca e despedaça tudo. Você vai ao seu analista e você passa mil anos em terapia e descobre que tudo o que você experimenta na vida sua vida você experimenta no momento presente, a unidade de trabalho de sua vida.

Você a experimenta no agora por uma razão. Se você escolher se preocupar, você não pode ser ativo, criativo e realizado. Não pode mudar e fazer todo tipo de bem e coisas excitantes para você em sua vida. Se você está ocupando seu agora com preocupação e se você acha que a preocupação é algo que você acabou de herdar ou é algo que seus pais lhe transmitiram e é algo que você você simplesmente não pode fazer nada, comece a praticar. Faça coisas.

Aprendi com o Dyer: digo às pessoas para se preocuparem, se isso for realmente resolver um problema. Sente-se aí e se preocupe. Me mostre o que você faz quando se preocupa. As  pessoas começam a ver como é bobo. É apenas um exercício mental, e a pessoa está presa nessa bobagem de todas as coisas com que se preocupa. Gosto de uma frase (de que não lembro a autoria) que diz que “eu sou um homem velho, tive muitos problemas, a maioria dos quais nunca aconteceu“. 

A maioria dos quais nunca aconteceu.

São todas as preocupações você recebe. Todas essas palavras e você as vê vindo em sua direção e você apenas pensa, “Meu Deus o que eu vou fazer?” ou “o que vai acontecer?” “Vou ser auditado pelo IR“. Eu tenho uma escolha. Posso ficar sentado o dia todo e me preocupar com cada uma dessas coisas. Se elas vão ou não vão acontecer, e o que vai acontecer se acontecerem, mas não posso fazer nada quanto a isso, ou pensar no que já poderei ir fazendo agora, para o caso de acontecerem. Preocupação geradora de ação.

É dizer que me recuso a usar a minha vida enchendo-a de preocupações sobre coisas que não posso fazer nada, apenas posso lidar com elas quando e se acontecerem. Não vou pelo caminho da preocupação, e você também não precisa, assim como não precisamos seguir o caminho da culpa. Tenha a noção de que há uma diferença entre culpa e aprender com o passado. Se você faz algo em vez de se sentir culpado por isso, você aprende a lidar com a coisa toda.

Preocupação é uma coisa e preparar-se para o futuro é algo bem diferente. Preparar-se para planejar o futuro ainda é algo que acontece no agora, então o que você tem que aprender a fazer é apreciá-lo no agora em vez de tentar vivê-lo dois meses a partir de agora ou daqui a três meses. Aproveite o processo de planejamento. Se você vai tirar férias daqui a três meses, esse é um processo muito agradável.

Todo esse planejamento e todas as atividades envolvidas nele e todas as expectativas e depois a antecipação do como vai ser isso é uma das coisas mais alegres das férias. Preocupação é quando você está imobilizado. A palavra chave para definir essa zona errada é imobilidade.

Seja o que for, se isso me imobiliza no presente, se a resposta for sim, então é algo de que eu quero me livrar.


Your Comment